sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Decompondo-me

O dia amanhece eu ainda com demanda do dia de ontem, pendências.  Tenho como empreitada escrever um texto, sobre um assunto digamos: “importante”.  No entanto tenho mesmo vontade é de escrever em faixas e outdoors espalhados pela grande cidade e dizer: Eu sei que tu existes. Eu sei que tu me tomas de admiração com esse olhar de paz. 

 Bem, se faz melhor que eu me refaça em juízo, e retome a escrita paga. Contudo, não encontro o botãozinho automático que eu possa acessar e dizer, saia já dos meus pensamentos... E se eu disser talvez ainda torne pior a conjuntura, quem sabe direi: Corra logo para o meu tempo. Toma meu espaço, te perca no meu abraço e envolva o meu juízo em papel jornal, pois de certo ele não vai mais competir a mim.

 Enquanto isso na sala de justiça... Campeio saber onde abandonei meus passos, pois meus pensamentos eu sei com o que se ocupas. Como retomar o escopo encomendado?  Se meu único desejo previsível é seguir o caminho guiado por ti. E ainda se possível te descrever em versos poetizados em filosofia, vã. E gritado aos quatros ventos nas esquinas, ou arenas da vida? 

texto: Babaçu

Um comentário:

Viviany Assunção disse...

"Corra logo para o meu tempo. Toma meu espaço, te perca no meu abraço e envolva o meu juízo em papel jornal, pois de certo ele não vai mais competir a mim."


perfeito! lindooooooo