sábado, 22 de maio de 2010

Babaçu planta, Babaçu gente



Amei a divulgação,

Amei a ideia,

amo ter acompanhado  babaçu virar nome de gente!

deixou de ser planta.

deixou de ser leiga na arte de sentir

e agora mostra isso e leituras de imagens.

Amo:

gente que sente e faz,

gente que toca e escreve

gente que não escreve por motivo de indignação da vida,

Amo:

gente que sei que preciso apoiar,

pra ver esse cultura estimular

varios outros pés de babaçuais

fotografos e escritores, 

Educadores.


Iron Vascocelos

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Exposição Fotográfica-Vanusa Babaçu

 
ANDANÇAS E OLHARES
EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA DE 
VANUSA BABAÇU

Leveza e simplicidade, elementos peculiares na construção do olhar diferenciado para o que se percebe como comum. A vivência entre as populações que compõe o universo rural da região oeste maranhense contribuíram para que a pedagoga e educadora popular Vanusa Babaçu, registrasse momentos ímpares que costuram o cotidiano rural maranhense, registrado através de câmera amadora, componente comum aos aspirantes a fotógrafo.


DIA 25 DE MAIO DE 2010

A PARTIR DAS 15H
NO CESI/UEMA
ENTRADA FRANCA 
Texto e Arte: Cairo Morais / Foto de Vanusa Babaçu

quarta-feira, 19 de maio de 2010


LANÇAMENTO DO LIVRO: GRILAGEM, CORRUPÇÃO E VIOLÊNCIA EM TERRA DE CARAJÁS(AUTORIA DO PADRE VICTOR ASSELIN)
    

O evento está sendo organizado Pela CESI/UEMA através do Programa DIÁLOGOS e o Centro de Educação e Cultura do Trabalhador Rural – CENTRU/MA.   Apoiado por várias entidades da sociedade civil. Padre Victor foi um dos fundadores da Comissão Pastoral da Terra (CPT) no Brasil e o seu livro, lançado pela primeira vez em 1982, é considerado uma das principais denúncias sobre a grilagem de terras em nosso país. O lançamento desta nova edição tem como objetivo principal estimular o debate sobre a questão agrária no Maranhão.



DATA DO EVENTO: 25/05/2010
LOCAL: CESI/UEMA
PROGRAMAÇÃO:
14h00min – 14h15minh Abertura
14h15min – 14h45min Mostra fotográfica com esclarecimentos pela autora
Autora: Vanusa Babaçu (Pedagoga)
14h45min - Oficina: Formação de lideranças comunitárias.
Formador: Pe. Victor Asselim
16:30h - Lanche
17:30h - Lançamento do Programa “DIÁLOGOS”
18:00h – Lançamento do Programa de Mestrado de Mestrado em “Desenvolvimento Sócio espacial e Regional”
Coordenadora do Mestrado: Dra. Zulene Muniz Barbosa
19:00h – Mesa redonda: “A sócio-sustentabilidade e a questão da terra”
Coordenação: Prof. Expedito Barroso (COORDENADOR DO CESI/UEMA)
Palestrantrantes:
Dom Gilberto Pastana (Bispo de Imperatriz)
Tema: O plebiscito sobre o limite da terra.
Manoel Conceição Santos (Educador Popular)
Tema: O empoderamento social a partir da terra
João Palmeira Junior (agrônomo)
Tema: Impactos socioambientais dos grandes projetos.
20:00 – 20:30h – Participação da Plenária
20:30 – Lançamento Livro “Grilagem: corrupção e violência em Terras do Carajás”
Autor: Victor Asselim
20:30 – 20:45- Apresentação do obra e do autor pelo editor.
20:45 – 21:30 – Trajetória de lançamento e relançamento da Obra pelo autor
21:30 – Sessão de autógrafos.
MOMENTO CULTURAL

 


segunda-feira, 17 de maio de 2010

A lenda do Peixe Francês - Validuaté


Era uma vez um peixe francês
[...]E o peixe que nunca tivera dores
Nem problemas com amores
Pois sua memória e consciência no mundo
Duravam sempre trinta segundos
Porém, depois de ver aquele ser,
Arcanjo rompendo seu casulo, num pulo.
Criou fixa idéia na mente
E amor e morte... só sente.
[...]Verão, outono, inverno e primavera
E a paz pro peixe não viera...



Eu menino, tu peixe
Eu peixe, tu menino... (Vanusa Babaçu)

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Meu poema acolchoará paginas de brancuras...
E o velho liquidificador, permanecerá ligado na função triturar...
Diga-me ao menos... Se faz mesmo necessário
Navalhas na carne?

Sem delongas - Vanusa Babaçu

Meu corpo,
minha mente
meu espírito
conjunto louco 
de espaço físico
edificado na necessidade de ti.

Cuide para que eu te esqueça
Cuide para que seja breve
Cuide para que a morte 

seja só do poema

Vá ...

Que eu cá permancerei
e cuidarei
para que sejas para sempre
amado
a gosto ou a contra gosto teu.

Prometa-me  somente
não olhar pela fresta da porta danificada.
Trocarei o lugar de depositar a velha chave.

Não se farás mais delongas
Suicidarei todas as palavras
que meu puto coração desejar 
escrever pra ti.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Presença -( Arte) Cairo Morais


E não estou alegre nem triste.
Esse é o destino dos versos.
Escrevi-os e devo mostrá-los a todos
Porque não posso fazer o contrário
Como a flor não pode esconder a cor,
Nem o rio esconder que corre,
Nem a árvore esconder que dá fruto.


Fernando Pessoa
Gravura: Cairo Morais


domingo, 9 de maio de 2010

Viola - Vanusa Babaçu


Um moço arteiro  
Festeja 
A noite 
A lua
A rua  
Verseja. 

Encanta e canta
Leva consigo
Sua outra face 
Seu outro ser 
Sua outra parte. 

Encantada... 
Tocada... 
Canta.




Á João Marley, que no trato de sua viola


faz cantar e encantar  nossas noites festivas.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Navegar é preciso
viver não é preciso

Fernando Pesoa

Abraços Partidos - Vanusa Babaçu

Meus abraços te jugulam
Fecha-se em concha,
recuo...
e morro só um pouquinho.
Os dias voam...
Meu corpo chora.
Nem eu,
Nem tu,
Nem o outono
permanecerá inteiro.
Não há resistência.
Pra tua resistência.
Minha alma está manca
E meus olhos, mar.
A lua, nublou-se
As matas do grande rio
fecharam seus cílios.
Mote inspirador?
Só a dor!
Desalenta-me,
Desespera-me,
E pra quem escrevo
tantas palavras não lidas?

Despedida - Vanusa Babaçu





Desaparece 
Sorrateiro


Silencioso


Utiliza-se do corredor comprido


Arrasta-se no seu tempo


No seu passo excêntrico


Lento, leve, livre


Levando-me


Deixando-me
Hoje... 
será para sempre?



Poema - Ney matogrosso

Hoje eu acordei com medo
Mas não chorei, nem reclamei abrigo
Do escuro, eu via o infinito
Sem presente, passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim
E que não tem fim
De repente, a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio, mas também bonito porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu há minutos atrás

quinta-feira, 6 de maio de 2010

O rio

"Sempre pensar em ir
caminho do mar.

Para os bichos e rios
Nascer já é caminhar.

eu não sei o que os rios 
tem de homem do mar

Sei que se sente o mesmo
e exigente chamar"

João Cabral de Melo Neto
"O sertão é uma 
              espera enorme"


Guimarães Rosa

Andirobal










"Só na foz do rio é que se ouvem
os murmurios de todas as fontes"
Guimarães Rosa

"Pensar na pessoa que se ama,
é como ficar à beira da água
esperando que o riacho, alguma hora
esbarre de correr"

Guimarães Rosa


Foto Riacho Andirobal
Resex Ciriaco- Cidelandia, MA.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Crepúsculo - Vanusa Babaçu

Eu  ouso  querer

desenhar-te em versos
 
e ser necessária

para um retorno breve

degustar contigo um cardápio

de letras musicadas...

 despedir-me

com aquele beijo-sorriso

certa de que o amanhã

pertence a nós.

Enquanto isso...
A tarde deita-se passiva

para a chegada de outro

anoitecer de outono.


Para Bebel, Minha amada!