quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Sala de Jantar



O roçar do queixo na nuca, confirma presença tua, nua (quase).   Faço-te o jantar apressadamente. Alho, cebola e alecrim. Fazem-me ficar promocionalmente condimentada à gosto, ao teu gosto, pro teu gosto.  Outra vez, tua aproximação, com cheiro aguerrido, saliva acervejada. Mesa posta carne fresca e fraca. E logo, devorar-nos-emos.

3 comentários:

Zezinho disse...

ASSIM EU GOSTION...
MINHA LINDA GUERREIRA E FERVENTE MULHER, COMO ANDAS?
BEIJOS E QUEIJOS...
TE ADORO.
ALDECY

Juh Salomé de Beauvoir disse...

Uuui, delíciaaa!!!! rsrs

Carinhos.

Nara C. disse...

êeee mundo véio sem porteira, gostei do bafo de cerveja, digo, saliva acervejada rsrs
muito bão mesmo o enredo!