sexta-feira, 7 de maio de 2010

Abraços Partidos - Vanusa Babaçu

Meus abraços te jugulam
Fecha-se em concha,
recuo...
e morro só um pouquinho.
Os dias voam...
Meu corpo chora.
Nem eu,
Nem tu,
Nem o outono
permanecerá inteiro.
Não há resistência.
Pra tua resistência.
Minha alma está manca
E meus olhos, mar.
A lua, nublou-se
As matas do grande rio
fecharam seus cílios.
Mote inspirador?
Só a dor!
Desalenta-me,
Desespera-me,
E pra quem escrevo
tantas palavras não lidas?

6 comentários:

Vanessa disse...

amo seus poemas varridos de amor e encanto. O que faz ser tão inspirador para os apaixonados e acolhedor para os românticos...


perfeito esse último! (abraços partidos)
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Vanusa Babaçu disse...

Meus poemas,

minhas dores,

...

Gracia

João Henrique Salles disse...

Minha flor de Babaçu,

Lindo, lindo e de uma profundidade sem tamanho. Tu me encanta!!!


Um abraço inteiro pra ti.

Vanusa Babaçu disse...

Obrigada! Abraços inteiros pra vc.

Babaçu

Anônimo disse...

Eu te dou mil abraços inteiros...

Anônimo disse...

teus poemas estão nús!!!!

Adorei (mais) esse.

Antonia Maria