terça-feira, 17 de agosto de 2010

Dom Quixote - Vanusa Babaçu

"E embora a vida de cavaleiro andante seja dura, 
não lhe faltam momentos doces ao recordar-se de
   -sua amada, a sem-par Dulcinéia Del Toboso, 
flor e espelho do gênero dantesco" 
A história de Dom Quixote de La Mancha,
escrita por Miguel de Cervantes y Saavedra (1547 - 1616),




Ainda não se faz de cansaço meu tempo de perder tempo, 
(sobre)vivendo das lembranças (as melhores)
dos tempos idos, vividos e contigo dividido.
Quantas vezes tu se faz minha Dulcinéia Del Toboso?
Se tu só existe no meu mundo imaginário?
Nem queixas, nem exigências.
Basta-me o consolo de presumir,
sonhar, mesmo que desperta.
Que a ilusão, passe ao mundo concreto. (Se ele existir).
Talvez como no conto, eu conte de meu arrependimento
tardio, ou não.
Hoje porém, vivo por e para ti.

No que te incomodo por me fazer teu "Dom Quixote"?
Real, nesse tempo...
Só o meu amor, que por ser amor
deixa-te livre, 
como assim tu anseia.
Manterei como prometido, 
jurado e sacramentado a distância 
necessária.


4 comentários:

Caroline disse...

"Manterei como prometido,
jurado e sacramentado a distância
necessária."
Nossa! Que frase pronfunda...

Parabéens Vanusa *-*

Vanusa Babaçu disse...

às vezes a distância passa ser a única forma de estar perto.


Xeiros e carinhos pra Carol.

Viviany disse...

lindo lindo lindo, um dos textos mais belos que já li, que bom que o (des)amor nos rende esses bons frutos, inspiracao pra poesias tao belas, que nos tocam e expressando o que no fundo todos nos sentimos, adorei amiga....beijooos

Vanusa Babaçu disse...

Minha vida era incompleta pois, faltava-me saber que todas as formas de amar é sim amor. Seguirei sendo agora DOM QUIXOTE, mas minha Dulcinéia tem rosto, o que lhe falta são olhos.

Vivi, obrigada pela passadinha

Beijos e amores para Vivi