terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Ciclo de ( a)mar


E o nosso rumo,
é o mar.
Um mar de amar.
E nossa cama de areia.
Será urgente para o experimento 
de nós dois.
Deixar-me-ei desenhar num poema novo
 Com palavras feitas de ti.
E tua quietude, 
fará meu espírito confiante.
Que amar o novo,
é plausível.

2 comentários:

Rosangela disse...

Delicioso poema,
Tão intenso que faz vibrar!
Bjs poéticos!

Juh Salomé de Beauvoir disse...

O amor é alma,
O amor é límpido...
O amor é novo,
Sempre quieto!

suas palavras são um presente...
e faço presente minha palavras,
sempre que puder!

entrarei em contato! ;)

beijos e abraços, levados pela brisa leve, da perto...
=)