terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Artesão - Vanusa Babaçu




Um caminhante,
de passadas lentas
pés sobre sandálias de couro cru
de calcas curtas
colorida num azul celeste
peito vestido de branco
branco singelo
branco puro
branco puído
enfeitado por adereço
criado por ele
exala a sala com seu
cheiro de corpo lavado.
De corpo lavado e alma nua
ah, esse caminhante
de olhar seguro
sob suas sobrancelhas delineadas
ainda no útero.
Boca exibindo dentes separados
sorriso com traços infantis
carregado de uma candura.
Desfeita na sua fala de homem,
No seu beijo animal.
Esse caminhante
menino
de calcas curtas,
e peito vestido de branco.
Carrega consigo,
Rente ao peito
Adereço arranjado por ele.

Esse adereço

sou eu.

 


Texto e fotografia: 
Vanusa Babaçu
Dias de se ver MENINO
janeiros de 60 dias
Imperatriz,  Ma



2 comentários:

João Henrique Salles disse...

"Essse adereço sou eu"

Não é difícil imaginar a importancia de um para o outro. Esse menino descrito com tanta riqueza de detalhes, com tanto cuidado, e com tanto zelo. E ele te carrega no peito através de um adereço. Essa ligação esse elo deverias ser chamado de amor. São de uma poesia demasiada todas as tuas palavras. Abarroto (palavra sua) meu coração de sentimentos bons quando abro essa página...

Babaçu desejo a vc e principlamente a todos nós que essa fonte de inspiração esteja sempre presente.

beijos

Vanusa Babaçu disse...

João Henrique,

Bem vindo, sinta-se em casa e "abarrote-se" sempre que quiser.
O elo de ligaçao pode sim ser chamado de amor... Me sinto mesmo carregada no peito.

Adorei sua passagem por aqui.

Agradecida