domingo, 3 de janeiro de 2010

IDA - Vanusa Babaçu


Prefiro a agonia da embriaguez
Contidas nos copos de vinhos
Que a tua verdade despida
Ou enfeitadas com belas palavras
Com intenção de amenizar minha dor.
Seja impiedoso
Ou cruel, talvez!
Vá, vire-me costas sem as delongas
das despedidas.
Leve  a certeza de não mais voltar
Deixe-me um vinho barato,
como companhia
quando eu acordar 
serei
só,
feita da mais pura
saudade.






4 comentários:

Anônimo disse...

IDA

Babaçu,

Babaçu

Teus escritos me embriagam. Feitos de uma simplicidade mas também de uma profundidade. São do tamanho de teus sentimentos. Lindo essa IDA. Entrou 2010 com poemas doloridos, de despedida, de saudades...
teus poemas passeiam por universos e tempos diferentes. Tô adorando essa remessa. Mas tô com saudade da Babaçu... "terra, bosta de boi...
talvez pq agora quando leio as postagens recentes, fico assim invadido por um vento de ciúmes.

beijos

queijos

beijos

Arthur Bauer disse...

Vanusa Babaçu

Teu blogger é um charme. De vez emquando dou uma bisbilhotada. Mas quando me deparei com as postagens desse novo ano, fiquei assim como o seu admirador anônimo com pontinhas de curiosidade só para saber qual o mote inspirador. (RISOS) Suas poesias são gostosas de ler, leves e livres. quanto a despedida regada a vinho barato , até eu ia gostar de sofrer um pouquinho.


Parabéns mesmo.

Vanusa Babaçu disse...

Sr?
Sra?
Anônimo,

Para cada ciclo da minha vida eu carrego um sentimento. Continuo sendo a Babaçu terra ou bosta de boi, nada mudou. Com dor, com saudade, tudo continua igual como a nossa velha e comprida estrada do arroz.

Quanto a ventos de ciúmes, vento é bom pq vem e passa!

gracias

queijos

Vanusa Babaçu disse...

Arthur

Grata pelas visitas, queres mesmo saber o mote inspirador? Eu direi: É a vida, viver me inspira para poetizar inclusive minhas dores. Há algo mais especila do que está viva? Com saudade ou despedida. Para tudo há um tempo: Hoje meu tempo está um pouco saudoso.

Respondi sua curiosidade?

gracias