quinta-feira, 22 de abril de 2010

Pequeno Príncipe




 Nos últimos cincos dias
recebi religiosamente
fragmentos lindos
do livro "Pequeno Príncipe"
  Logo nas primeiras horas do dia
todas me chegaram anônimas
confesso que,
demorei um pouco pra saber
o autor da empreitada
agora já sei!! 
Gostei de tudo: 
da iniciativa
do carinho
dos fragmentos
Resolvi ler o livro 
e decidi entender o recado.
de todos os fragmentos
 adorei particularmente esses:














 Minha rosa, sem dúvida um transeunte qualquer
pensaria que se parece convosco.
Ela sozinha é porém mais importante que vós todas, 
pois foi a ela que eu reguei. 
Foi a ela que pus a redoma. 
Foi a ela que abriguei com o para-vento. 
Foi dela que eu matei as larvas. 
Foi a ela que eu escutei queixar-se ou gabar-se,
ou mesmo calar-se algumas vezes.
É a minha rosa."





quando olhares o céu de noite,
(porque habitarei uma delas e estarei rindo),
então será como se todas as estrelas te rissem!
 E tu terás estrelas que sabem sorrir!
Assim, tu te sentirás contente por me teres conhecido.


Se tu vens, por exemplo,
às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz.
Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz.
Às quatro horas, então, estarei inquieto e agitado:
descobrirei o preço da felicidade!
Mas se tu vens a qualquer momento,
nunca saberei a hora de preparar o coração... "





3 comentários:

João Henrique Salles disse...

Ficou tão infantil, e belo como tudo!

Vanusa Babaçu disse...

Nossos coraçoes não foram avisados da idade cronológica ...

Grata

Nara disse...

Que bela postagem! mais belo ainda este teu comentário Babaçu... "nossos corações não foram avisados a idade cronológica " verdade incontestável!